Tênis de mesa o esporte criado por ingleses, mas adorado por todos

Por Douglas Roque
O Tênis de mesa surgiu na Inglaterra por volta da segunda metade do século XIX. Incialmente era praticado por jovens estudantes universitários e militares.  O esporte só se difundiu na segunda década do século XX, com criação da Federação Internacional de Tênis de mesa a (ITTF). Em 1927 na cidade de Londres ocorrera o primeiro campeonato mundial, e em 1988 nas olimpíadas de Seul, o esporte entra para as modalidades olímpicas.
Quando fora criado o esporte possuía outro nome, a bola quando era golpeada pela raquete, e quicava na mesa, produzia um som engraçado, e os praticantes da época associaram a palavra pingue-pongue. O “pingue” é o som que emitia à mesa quando a bolinha quicava, o “pongue” era o som produzido quando a bolinha batia na raquete. Alias até hoje muitos pensam que ambos são as mesmas modalidades. O Tênis de mesa e o Pingue Pongue se diferenciam em alguns aspectos, uma das principais é a jogabilidade, no Pingue Pongue o jogador geralmente só empurra o bolinha para a outra parte da mesa, é uma batida sem efeito, já no Tênis de mesa o jogador, faz uma batida com spin (giro), assim a bola pega muito mais efeito. Outro detalhe que vale ressaltar, é que no Pingue Pongue o jogador na hora de sacar é obrigatório fazer um saque em diagonal, no Tênis de mesa ele pode sacar em qualquer parte.
Atualmente os mesatenistas como são chamados utilizam três empunhaduras de raquete; a caneta, empunhadura mais antiga, a clássica que hoje é a mais usada pelos jogadores, e a clássineta, que é um misto da empunhadura caneta com a clássica. As partidas no Tênis de mesa são disputadas em sets ímpares, nos torneios nacionais e em torneios por equipes os jogos são de melhor de 5 sets, já em torneios internacionais são melhores de 7 sets. Para vencer um set o mesatenista precisa fazer 11 pontos, com vantagem de no mínimo 2 pontos para o seu adversário.
Em Sorocaba o Tênis de mesa é representado pela Escola Estemso, que tem como um dos lideres o ex-atleta profissional Fábio Okano. Uma das professoras e também ex-atleta Ayako Kuroda conta que conheceu o esporte com 9 anos, inicialmente ela jogara somente em torneios amistosos, mas com o passar do tempo foi disputando torneios maiores da Federação Paulista, conseguindo chegar nos primeiros lugares, também representou Sorocaba em Jogos Abertos e Regionais. Como professora ela diz que é um grande desafio. “Para mim, o ensinar está além de desafiadora, um prazer, pois o acompanhamento do crescimento de cada aluno é fabuloso”.
Maria Harada tem 67 anos ela conta que pratica o Tênis de mesa desde os 17 anos, por motivos pessoais ela ficou parada por 11 anos. Segundo Maria o esporte é “um ótimo exercício para a saúde” ela diz que é muito bom à prática do Tênis de mesa, quando está jogando se sente ótima e fica com disposição para outras a fazeres “quando estou jogando esqueço todos os problemas, é uma higiene mental”.
Alessandro Miguel de 39 anos é microempresário, ele começou a praticar Tênis de mesa por interferência do seu filho, Enzo de 8 Anos, “meu filho começou a treinar, aí eu vim  para acompanhar ele, daí achei interessante e resolvi participar”. Antes de praticar o esporte Alessandro fazia academia regularmente, e segundo ele “é diferente o estilo do exercício, é mais aeróbico”. Ele diz que por enquanto não vai disputar torneios, “mas quem sabe se conseguir chegar a nível de disputar competição, daí a gente pode entrar”.
André Quintella conta já praticara o Tênis de mesa na infância, porém aos 13 anos migrou para o Tênis de quadra onde ganhou alguns torneios, e há 2 meses voltou a mesa. Ele diz que nesse retorno para o Tênis de mesa sente a diferença na velocidade da bolinha.  “Quando você não tem tempo de buscar uma bola (no Tênis de quadra), você dá um balão para cima, aqui (no Tênis de mesa) não tem muito balão para recompor no jogo, é muito mais rápido”.  Ele ressalta ainda que no treinamento do tênis de quadra é muito mais desgastante, por ser em um lugar aberto, além dos custos que são bem diferente entre os dois esportes, o que acontece é que “para você ter uma mesa, você precisa ter 15 m², uma quadra de tênis demanda 648 m², isso faz muita diferença”.
A escola Estemso possui alunos entre 7 há 67 anos, incialmente as atividades são semelhantes, a análise é feita nos primeiros treinamentos para decidir o que precisar ser trabalhado no aluno. A prática do Tênis de mesa traz benefícios como coordenação motora, habilidades, raciocínio estratégico e condicionamento físico.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Projeto E o gol?

Como os deficientes visuais jogam futebol?