Pular para o conteúdo principal

Árbitro e árbitro assistente, as profissões que tem pouca torcida, mas que são muito necessárias

Por Fernanda Abreu

O árbitro assistente está no campo para auxiliar o árbitro principal em suas tarefas, como zelar pelo cumprimento das regras do jogo
A trajetória do futebol atrai milhões de torcedores para estádios e, também para a frente da TV, rádio e do computador. Os jogadores ganham seguidores e muito destaque, algumas vezes, até mais do que a própria bola, quem importa é quem fez o gol, de quem foi o passe.
Se até a bola passa despercebida, imagina os árbitros? E os árbitros assistentes? Durante o bacharelado de Educação Física, Fernanda Torres se encantou com a profissão. “Trabalho na área a 3 anos e adoro, meu principal objetivo é terminal a faculdade e conciliar a arbitragem com a minha profissão de professora de Educação Física”, afirma a atleta.
Durante as partidas, é responsabilidade do árbitro assistente auxiliar caso a bola ultrapasse os limites do campo de jogo; Designar qual time deve realizar os tiros de canto, meta e arremesso lateral; Assinalar quando um jogador estiver na posição de impedimento; Quando uma substituição é acionada e quando uma infração é cometida longe dos olhos dos árbitros.
Prestar atenção em todos os detalhes do jogo e seguir a bola com os olhos por todo o campo traz benefícios para a vida pessoal: “Aprendi a ter muita atenção e, para mim que sempre gostei de futebol, trabalhar na arbitragem é incrível”.
O árbitro assistente está no campo para auxiliar o árbitro principal em suas tarefas, que são zelar pelo cumprimento das regras do jogo; Verificar se a bola do jogo possui as características específicas da regra; Anotar os incidentes que ocorrerem durante a partida e será responsável por cronometrar o tempo de jogo; Interromper ou finalizar uma partida quando achar oportuno; Parar o jogo caso algum jogador sofra uma grave lesão; Interromper ou suspender um jogo caso sofra uma interferência externa; Permitir que o jogo continue acontecendo até que a bola esteja fora do campo.


Também é dever do árbitro cumprir a regra de que todo jogador que estiver sangrando saia do campo e estanque o sangramento para que possa voltar à partida; Caso o jogador cometa duas infrações, o árbitro deverá puni-lo com a falta mais grave; Expulsar algum integrante da comissão técnica caso eles tenham uma atitude considerada incorreta; Atuar de acordo com as indicações que seus árbitros assistentes tenham lhe dado quando não tenha tido oportunidade de observar; Não deve permitir que pessoas não autorizadas entrem em campo; Deve informar as devidas autoridades todas as sanções e punições realizadas contra jogadores, equipe técnica e qualquer outro incidente que tenha ocorrido.
Em uma partida, a decisão de um árbitro é definitiva e só pode ser mudada caso ela esteja incorreta ou se receber uma indicação de seus árbitros assistentes.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Projeto E o gol?

O blog E o gol? é um projeto desenvolvido para a matéria de jornalismo digital da UNISO.
Porque este nome?
O nome foi escolhido já que vamos tratar de várias modalidades esportivas, mas calma, nosso blog não vai te dar os resultados dos últimos jogos, nem contar quem fez o gol ou passe da vitória. Nós vamos falar sobre atletas de modalidades pouco divulgadas, mostrando suas histórias dentro e fora do mundo esportivo.
Você sabe quem é a campeã mundial de luta de braço? E conhece a diferença entre ping-pong e tênis de mesa? Não? Então vem com a gente!

Tênis de mesa o esporte criado por ingleses, mas adorado por todos

Por Douglas Roque
O Tênis de mesa surgiu na Inglaterra por volta da segunda metade do século XIX. Incialmente era praticado por jovens estudantes universitários e militares.  O esporte só se difundiu na segunda década do século XX, com criação da Federação Internacional de Tênis de mesa a (ITTF). Em 1927 na cidade de Londres ocorrera o primeiro campeonato mundial, e em 1988 nas olimpíadas de Seul, o esporte entra para as modalidades olímpicas. Quando fora criado o esporte possuía outro nome, a bola quando era golpeada pela raquete, e quicava na mesa, produzia um som engraçado, e os praticantes da época associaram a palavra pingue-pongue. O “pingue” é o som que emitia à mesa quando a bolinha quicava, o “pongue” era o som produzido quando a bolinha batia na raquete. Alias até hoje muitos pensam que ambos são as mesmas modalidades. O Tênis de mesa e o Pingue Pongue se diferenciam em alguns aspectos, uma das principais é a jogabilidade, no Pingue Pongue o jogador geralmente só empurra o bol…

Como os deficientes visuais jogam futebol?

Por Douglas Roque 


Sendo o país do futebol o Brasil se orgulha por ser uma das maiores potências do esporte, tanto entre os homens como entre as mulheres. Historicamente a seleção brasileira mostra um currículo invejável, com conquistas em copas do mundo e olimpíadas, além de possuir grandes jogadores que marcaram suas gerações. Com toda essa expressão no futebol faz com que o povo brasileiro seja um amante do esporte. Mas mesmo com essa paixão enlouquecedora, a maioria dos apaixonados desconhece a existência de outra modalidade, o futebol de cinco, ou futebol para deficientes visuais. O Futebol de cinco é uma adaptação para pessoas com deficiência visuais. O esporte é governado pela (IBSA) Federação internacional dos desportes para cegos com regras da FIFA. Ele teve sua estreia nas paralimpíadas em 2004, isso fez que o esporte e seus atletas fossem reconhecidos pelos seus países, na ocasião a primeira medalha de ouro foi para o Brasil, mostrando a força do país também no esporte adapta…