Xadrez, o esporte que melhora a concentração do aluno nas escolas

Por Fernanda Abreu

“Sem dúvida, o xadrez é uma modalidade que permite melhorar o cognitivo do aluno, o ensinando a montar suas jogadas individuais e a prever a ação do oponente”



“O xadrez é um esporte que promove o desenvolvimento tanto psíquico quanto social e mental do aluno”, afirma Sirlene Souta, professora de Educação Física, que trabalha o xadrez em suas aulas a três anos, na Escola Comendador Pereira Ignacio, de Votorantim.
A educadora trabalha com jovens do ensino fundamental II e ensino médio, os ensinando, treinando e apoiando para as competições. “Este ano tivemos um número significante de alunos que aderiram ao esporte. Acredito que eles foram estimulados pelas medalhas que aqueles que competem trazem para nossa escola”, comenta a professora.
O xadrez consegue melhorar o comportamento de alunos considerados rebeldes ou com dificuldades de concentração: “Este ano temos alunos que tem dificuldades em concentração dentro das salas de aula e gradativamente percebemos essa melhora de aprendizado por esses alunos. Claro que isso acontece somente com o aluno que se dispõe a estar nos treinos por corpo e alma, que se dedica ao esporte”.

Em entrevista, a professora comentou que devido a procura, ela teve que realizar uma seletiva para a entrada de novos alunos. “Temos alunos que desenvolvem metas no esporte e aqueles que nos procuram porque não gostam de ficar em casa, acolhemos os dois casos e os ensinamos a melhorar o ritmo de jogo, prestar atenção a cada peça, refinando a atenção necessária dos alunos”, afirma.
A educadora pontua que o xadrez deveria ser praticado e incentivado em todas as escolas, devido aos resultados positivos obtidos através dele: “Este trabalho deveria ser mais valorizado e melhor promovido em todas as escolas para todas as idades. Sem dúvida, o xadrez é uma modalidade que permite melhorar o cognitivo do aluno, o ensinando a montar suas jogadas individuais e a prever a ação do oponente e isso é muito gratificante”.
Além de estimular a concentração, o aluno também consegue desenvolver técnicas próprias e a ler os oponentes. “Eles entendem que cada jogo é um jogo, sabendo que os oponentes não serão iguais e, assim, conseguem repertórios completamente novos após as competições.
No Brasil, o esporte é regulamentado pela Confederação Brasileira de Xadrez e, mundialmente regulamentado pela FIDE – World Chess Federeation. Ganhando cada vez mais público, o esporte é inclusivo, já que pode ser praticado por pessoas de todas as idades e classe social, misturando diversas gerações para a disputa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Projeto E o gol?

Como os deficientes visuais jogam futebol?

Tênis de mesa o esporte criado por ingleses, mas adorado por todos